sábado, 1 de outubro de 2016

Desabafos noturnos

Aqui estou eu na minha caminha. O sono parece querer chegar de mansinho. Mas mais uma vez estou a conversar com uma amiga no Messenger e a pensar como é que as pessoas conseguem ser tão dissimuladas. Ultimamente a situação desta amiga tem-me posto a cabeça em água e sinceramente não sei se terei paciência para muito mais. Cansa-me a alma. A verdade é que eu mudei e já não sou a mesma pessoa que era há 10 anos. Antes eu deixava a minha vida, os meus interesses, os meus problemas para ouvir e estar para os outros. Hoje já não sou assim, primeiro eu. O tempo e a vida têm o poder de nos dar esta maturidade. É talvez uma questão de sobrevivência. Dei de mim aos outros durante muito tempo e por vezes quando precisei não estava lá ninguém. Aprendi. Aprendi que por vezes temos que deixar alguém pelo caminho. Alguém que já não nos faz bem, alguém nos sufoca, alguém que nos deixa de ser transparente. E transparência é algo muito importante para mim. As pessoas têm que respeitar-se e aceitar-se como são. E respeitarem-me a mim. É uma questão de inteligência. Odeio quando me tentam enganar, mentir.... é das piores coisas que me podem fazer! E neste momento ando com aquela sensação que tenho que deixar alguém pelo caminho... e ando lixada por isso.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

E ele chegou...


Por aqui já há algumas noites que ele se faz sentir... e que bem que sabe nos enroscarmos no quentinho do edredon de verão! ;)
Vícios, manias ;)

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Aprendizagem do dia


Gelinho #3

De volta ao clássico vermelho! ;)

Back to school!


Mais um ano escolar que se inicia, com novas aprendizagens, novas rotinas e novos desafios. :) Espero que seja um ano, que apesar de cheio, seja calmo e positivo tanto para ele, como para nós!
Por aqui hoje acordámos super animados, cheios de vontade de voltar à escola. As saudades dos amigos e da professora são mais que muitas. Claro que dos TPC não são nenhumas! Mas, pronto, não podia ser tudo perfeito!;)
Crescer é isto mesmo. E como está crescido o meu pirata!!

O relógio biológico que todos temos...

E não, não estou a falar da vontade de ter bebés! Estou mesmo a falar do ritmo do nosso organismo, algo que todos temos, mas que por vezes não respeitamos. E essa falta de respeito quase sempre nos sai cara, principalmente porque na maior parte do tempo, não nos apercebemos que o problema está na forma como organizamos o nosso dia e como respeitamos as necessidades do nosso organismo. E verdade seja dita ele sempre nos diz a melhor maneira de o fazermos, nós é que não o ouvimos. E se até aos vinte a coisa não custa e até parece que nos passa ao lado, aos trinta as coisas já não são bem assim. Nos últimos tempos tenho aprendido que se aprendermos a ouvir as nossas necessidades e organizá-las nos seus devidos horários o nosso bem-estar torna-se logo maior e os problemas de saúde diminuem. Embora os ritmos do organismos possam ser diferente em alguns aspectos, nas várias pessoas, deixo-vos aqui um exemplo:  

06 horas: até às 12h00 são atingidos os níveis mais elevados de pressão arterial, frequência cardíaca e vasoconstrição, o que pode explicar a maior taxa de mortalidade cardiovascular.  
08 horas: há maior mortalidade intestinal. É uma boa altura para ir à casa de banho. 
09 horas: os níveis de cortisol, a hormona do stresse, estão mais elevados. 
10 horas: maior estado de alerta, lucidez e concentração. A pele atinge o pico da beleza. 
13 horas: a oleosidade da pele atinge o seu ponto máximo. 
15 horas: uma anestesia no dentista dura cinco vezes mais do que às sete da tarde 
23 horas: pico de microcirculação e permeabilidade da pele. É uma excelente altura para aplicar cosméticos. 
02 horas: o organismo atinge o estado de sono profundo. Inversamente, às 14h00, produz mais adrenalina. 
 04 horas: a nossa temperatura corporal baixa. Da parte da tarde, as 16h00 marcam a hora ideal para fazer um lanche.

Experimentem conhecer melhor o ritmo do vosso organismo e vejam se depois não se sentem melhor. Comigo resultou.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Perdida de sono...

...e de calor.
Não sei se vocês estão solidários comigo, mas o calor que se faz sentir hoje é verdadeiramente infernal. Estou que não me aguento!
É horrível trabalhar com este calor, onde nem uma brisa se sente. Estou desejosa de chegar a casa e me enfiar na banheira.